Colunas
 

Herlon Cavalcanti
 
23.09
80 anos do Mestre Dila

José Soares da Silva, o Mestre Dila, o Papa da Xilogravura, o Marechal do Cordel. Um dos artistas mais completos de todos os tempos da cultura popular brasileira.

Sua história de vida foi construída por muitos sacrifícios e sonhos. Seu amor pela poesia popular é eterna. Desde criança que o pequeno Dila já demonstrava um talento incrível pela arte do improviso, da poesia oral e dos desenhos. O tempo foi passando e se encarregando de fazer ele brilhar para o mundo da poesia.

Dila já como poeta cordelista, ao lado dos também poetas J. Borges, Olegário Fernandes, Zé da Costa, Leite, Minervino, Zé Pacheco, Manoel Monteiro, Francisco Sales Arêda, Severino Cristóvão, entre tantos outros, viajou com suas malas de conhecimentos para todas as feiras do Nordeste. Foi esse movimento das feiras que alfabetizou muita gente, socializou nas leituras das rodas de cordéis conhecimentos, educou e informou através das narrativas poéticas que eles vendiam.

Dila foi o pioneiro a fazer as permutas entre clichês por cordéis com os próprios poetas andarilhos cordelistas. As novas capas de cordéis ganharam os traços da xilogravura de Dila, ficando, assim, ilustradas, trazendo brilho e encanto para as histórias do misticismo, religiosos, aventuras, romances e grandes pelejas.

Dila também ajudou muita gente a começar a arte da xilogravura e do cordel. Ele, com sua simplicidade, envolvia as pessoas na esperança de ter uma profissão digna, justa e sonhadora.

O Mestre tem uma importância gigantesca para a construção da cultura popular de Caruaru e de toda a região. Seus trabalhos eram sempre solicitados para ilustrar as capas de jornais, revistas, folders, fachada das lojas etc.

Ele tem uma paixão incondicional pelas histórias do cangaço e seu tempo de bravura no Nordeste. Sua família sempre foi seu maior alicerce. Sua esposa Claudeci (saudosa memória) e seus filhos são os espelhos que refletem luz e vida.

Mestre Dila é Patrimônio Cultural de Pernambuco, título reconhecido pela Secretaria Estadual de Cultura - Fundarpe.

Parabéns ao Mestre Dila e a toda sua família por acompanhar a memória e a história que sempre vão nos brindar com alguma capa de cordel ou sua poesia popular.

 
 
 
publicidade