Notícias
 
Cidade
 
12/08/2017
Corpo é encontrado em plena Avenida Agamenon
 

O cadáver de Lenildo Silva, de 55 anos, estava dentro do Fiat Pálio de cor preta e de placas ELV-6173, que se encontrava estacionado na garagem de uma loja fechada

Pedro Augusto

Uma cena inusitada chamou bastante a atenção dos caruaruenses, no final da manhã da última segunda-feira (7), em plena Avenida Agamenon Magalhães, no Bairro Maurício de Nassau - área nobre de Caruaru. O corpo de Lenildo José Gonçalves Silva, o "Dido", de 55 anos, acabou sendo encontrado no Fiat Pálio de cor preta e de placas ELV-6173, que estava estacionado na garagem de uma loja fechada. O automóvel, segundo informações repassadas por familiares, era de propriedade de Lenildo. Ele era muito conhecido em Toritama, na região Agreste, onde residia e trabalhava como comerciante.

De acordo com o levantamento do Instituto de Criminalística, o cadáver de Lenildo encontrava-se no banco do motorista já em estado avançado de decomposição. "Trabalhamos com a materialidade e os indícios e o que podemos adiantar é que não identificamos lesões no corpo dele. O cadáver foi encontrado já em estado avançado de putrefação, compatível a dois, três dias, devido aos fenômenos cadavéricos que foram observados como edemas, inchaços e mudanças de coloração. Em paralelo, também encontramos no carro um recipiente de cor preta que poderia estar armazenando algum tipo de veneno como chumbinho", informou o perito Carlos Henrique.

Como o IC identificou a necessidade da realização de exames mais detalhados, o cadáver do comerciante acabou sendo encaminhado para o Instituto de Medicina Legal do Recife. "Já que em Caruaru não contamos com o setor específico que realiza exames em corpos em estados avançados de decomposição, tivemos de levá-lo para o IML da capital pernambucana. Lá, o cadáver foi submetido a um exame toxicológico que permitirá a identificação ou não da presença de veneno. Fomos informados, através da sua família, de que o Lenildo estava desaparecido desde a sexta-feira (4). Este período até a sua localização se encaixa com as condições em que encontramos o seu corpo, ou seja, em estado avançado de putrefação", ressaltou Carlos Henrique.

Presentes no local, os familiares do comerciante não quiseram conversar com a imprensa, porém as informações que circularam durante a realização do trabalho cadavérico do Instituto de Criminalística foram de que Lenildo estaria passando por problemas financeiros, bem como ainda teria dito ao seu filho que iria ingerir veneno. Diante da probabilidade remota de assassinato, a titular da 19ª Delegacia de Homicídios, Sérvula Walesca, esteve acompanhando o levantamento do IC. Ela também está aguardando os resultados dos exames.


SURPRESA

Surpresos com a identificação de um corpo às margens da avenida mais movimentada de Caruaru, vários populares estiveram acompanhando o trabalho da polícia. Devido à aglomeração e à circulação intensa de pessoas, o trânsito naquele trecho determinado da via acabou ficando lento.

 
 
 
 
publicidade