Notícias
 
Cidade
 
06/01/2018
Mais de 100 lixeiras já foram destruídas
 

A Prefeitura de Caruaru implantou na cidade mais de 400 lixeiras. Muitas delas já foram quebradas por vândalos

Wagner Gil

Em entrevista ao programa Jornal VANGUARDA, que vai ao ar pela Caruaru FM, o secretário de Serviços Públicos, Humberto Correia Júnior, afirmou que a cidade vem sofrendo com ação de vândalos, principalmente no que diz respeito às lixeiras que foram implantadas no centro da cidade, dentro da campanha Cidade Limpa.

Nas principais ruas do Centro e nas avenidas Manoel de Freitas, Agamenon Magalhães e Rio Branco, a quantidade de lixeiras destruídas é enorme, passando de 20% do total instalado. "Muita gente critica porque não tem onde jogar o lixo e, quando colocam as lixeiras, os marginais fazem isso", desabafou a aposentada Elisabeth Farias Santos. "Aqui na Rio Branco, a lixeira foi trocada, mas, no outro dia, os vândalos quebraram", completou.

A dona de casa Inês Domício Moura disse que um grupo de quatro jovens quebrou quatro lixeiras que estavam instaladas na Rua Silvino Macedo. "Eles são estudantes, pois estavam com a farda da escola e, quando fui reclamar, me ameaçaram. A rua tem câmeras e a prefeitura deveria solicitar as imagens. As pessoas têm que ser responsabilizadas", sugeriu.

Outra pessoa que já presenciou este tipo de vandalismo foi o pedreiro Antônio Amorim. "É lamentável ver o nosso dinheiro ir para o ralo desta forma. Falta educação à população", disse. "Vi dois meninos quebrando uma lixeira que fica ali na esquina da antiga Coletoria Estadual. Hoje funciona um prédio da Justiça no local e, mesmo assim, os menores não se intimidam", completou.

O secretário Humberto Correia disse que até agora a prefeitura não conseguiu localizar nenhum vândalo, mas lamentou bastante. "Atualmente está muito difícil conseguir recursos para investir no setor público. Aqui, a prefeita Raquel Lyra tem dado uma prioridade à limpeza de nossa cidade e estamos fazendo a nossa parte. Conseguimos uma economia na coleta do lixo significativa e agora estamos implantando as lixeiras no Centro, Avenida Agamenon Magalhães e adjacências, para depois chegar na periferia. O número de lixeiras quebradas nos deixa muito triste", relatou Humberto.

De acordo com o secretário executivo da pasta, Ytalo Farias, recentemente foram instaladas 428 lixeiras nas principais ruas do Centro, Avenida Agamenon, Manoel de Freitas e adjacências. "Já trocamos várias e temos mais de 30 quebradas", disse. Indagado sobre a qualidade do material utilizado se não seria fraco, ele afirmou que as lixeiras estão dentro das normas exigidas para receber até 20 litros.

Ítalo informou ainda que as lixeiras recebem um bolsa plástica e, diariamente, o pessoal que faz a varrição retira o material do dia anterior e coloca uma nova sacola. Em relação às lixeiras que ainda não foram substituídas, ele informou que um novo levantamento está sendo feito e a prefeitura estuda uma campanha de conscientização para evitar a destruição do patrimônio público.

 

 
 
 
 
publicidade