Notícias
 
Política
 
06/01/2018
Políticos lamentam morte de Armando Monteiro Filho
 

Ex-ministro da Agricultura deixou um legado político, com um filho senador e outro diretor de um jornal conceituado

Wagner Gil

Morreu, na manhã da última terça-feira (2), no Recife, o ex-deputado e ex-ministro Armando Monteiro Filho. Pai do senador e pré-candidato ao Governo do Estado, Armando Monteiro Neto (PTB), ele tinha 92 anos e faleceu em decorrência de complicações no sistema respiratório. O corpo do político, empresário e engenheiro foi velado no Cemitério Morada da Paz, em Paulista, onde também ocorreu a cerimônia de cremação.

Armando Monteiro Filho foi genro do ex-governador Agamenon Magalhães e ministro da Agricultura no governo de João Goulart, entre os anos de 1961 e 1962. Também foi deputado estadual e federal. Em 1962, ficou na terceira colocação na disputa ao Governo Estadual, vencida por Miguel Arraes. Durante a ditadura, fez oposição ao Regime Militar. Foi filiado ao MDB e ao PDT. Em 1994, participou de sua última eleição, mas não conseguiu se eleger senador.

Durante seu velório, diversas autoridades políticas nacionais estiveram presentes, entre eles o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), que é cogitado para compor a chapa de Geraldo Alckmin (PSDB) como candidato a vice-presidente. Em contato com à imprensa estadual, ele desconversou sobre essa possibilidade e reiterou seus compromissos com a Reforma, destacando as mudanças na Previdência. "Estou para prestar homenagem a um grande político, pai do senador e ex-ministro Armando Monteiro Neto. Não é momento para falar de política. O que o país precisa é realmente aprovar as reformas que estão no Congresso, principalmente a da Previdência", disse Maia.

Emocionado com as homenagens, o presidente do Grupo EQM (Folha de Pertnambucano), Eduardo de Queiroz Monteiro, falou sobre o patriarca. "Meu pai era um homem acima das questões partidárias. Sempre tratou as pessoas, até os adversários reconheciam esse trato, com enorme respeito, humildade na forma de se conduzir. Ele deixa uma lacuna muito grande", lamentou.

O senador Armando Monteiro Neto também elogiou a trajetória de vida do pai. "Generoso, uma pessoa conciliadora. Ao mesmo tempo, tinha uma marca de coerência. Meu pai não foi na vida pública um homem pragmático, que tenha feito as coisas por um mero cálculo político. Ele conseguiu ser um idealista ao longo da vida. Eu acho que esse é o traço mais marcante da sua dimensão humana. Ao mesmo tempo, foi um homem que se dedicou inteiramente às causas que abraçou tanto na vida pública quanto na atividade privada. Foi um empreendedor corajoso, um homem que assumiu riscos e, diante deles, colecionou conquistas, vitórias e também reveses", disse.

A prefeita de Caruaru, Raquel Lyra (PSDB), também lamentou. "É com muito pesar que recebo a notícia do falecimento do ex-ministro da Agricultura, Armando Monteiro Filho. Homem que teve uma longa trajetória no empresariado e lutou firmemente pela democracia e pelos interesses de Pernambuco e do Brasil. Presto minha solidariedade aos seus familiares e amigos."

"Doutor Armando honrou as tradições de Pernambuco, sendo um político sério e do diálogo. Reconhecido pela sua calma e respeito às opiniões divergentes", disse o ex-governador João Lyra Neto (PSDB). "Um homem à frente de seu tempo", completou.

"É uma grande perda para o Estado e para o Brasil. Perdemos uma pessoa digna, uma pessoa que honrou o Brasil como ministro", afirmou o deputado federal Jarbas Vasconcelos (PMDB).

O deputado federal Silvio Costa também enalteceu a importância dele para a histórica. "Doutor Armando foi um exemplo de dignidade. Ele é a prova concreta de que a ética não é uma palavra abstrata."

O ex-presidente da Câmara dos Deputados, Severino Cavalcanti, recordou de momentos com o empresário. "A lembrança que posso ter dele é pela sua honestidade, pelo seu caráter, a maneira como ele agia durante tanto tempo. Não enganava ninguém, era muito sincero."

O ministro de Minas e Energia, Fernando Filho, citou o exemplo de Armando Monteiro Filho. "Doutor Armando sempre foi instransigente na luta pela democracia. Tinha suas posições muito claras e respeitava quem pensava diferente dele. Mesmo divergindo na política, ele sempre mantinha seu tom de voz, sua forma cordial de ser."

Para o ministro da Educação, Mendonça Filho, "Armando Monteiro Filho foi um dos melhores quadros da política pernambucana".

 

 
 
 
 
publicidade